Eu que agora estou aqui

“Eu que dei as costas para a poesia,
cobri os ouvidos para entender que não ouvir não é facultativo.

Eu que recebi uma chupeta do mundo,
agora não tenho com o que me satisfazer.

Eu que não tenho crenças e nem credos,
acendi uma vela pelo menino que naquele asfalto jazia.

Eu que acreditava em tudo que lia,
vi que o autor era demagogo,assim como eu.

Eu que achava que era tarde demais,
descobri que já foi tarde antes que fosse cedo.

Eu que há muito deixei de existir,
descobri um bar novo lá na esquina de baixo.

Eu que já quis mandar várias pessoas tomarem no cu,
ofereci-as um cortês café e atrasei um pouco a foda, mas ei de fazê-lo.

Eu que sou cheio de questionamentos e afirmações,
Não sei a diferença entre porque, porquê, por que e por quê.

Eu que quis lavar toda a sujeira da cidade,
vi que cidade limpa é coisa de Europeu.

Eu que lanço dois projetos novos por dia,
compreendi que para o amanhã o hoje é ontem.

Eu que achava que amor era pra sempre,
Hoje sei que isso não é verdade…

…mas só até me apaixonar outra vez”

(Gabriel Muzzi)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s