Tem algo sobre a chuva que me deixa mais tranquilo

Tem algo sobre a chuva que me deixa mais tranquilo. Não sei se é paranóia minha, pode ser que seja mesmo, mas através da janela embaçada do metro, a chuva contrastada com o cinza da massa urbana, me passa uma sensação de conforto mesclado com felicidade. O maior defeito do ser humano é ter uma vida tão curta, porém, dependendo do ponto de vista, uma vida curta como a nossa, de 70 a 80 anos, é longa o bastante para sermos chamados por todos de velhos, mas se pararmos para pensar por instantes, vemos que somos apenas crianças, em todos os sentidos, não importando a idade, pois há árvores que vivem milênios a fio, e morrem por causas extraordinárias à sua existência. Quando digo defeito, é pelo fato de que viver pouco tempo faz com que se crie dentro de nós uma plena sensação de que tudo dura para sempre, pois nunca vivemos tempo o bastante para ver os resultados das causas maiores pelo que lutamos. Por isso, quando perdemos alguém de repente, nossas vidas se agitam como uma tempestade marinha, e nossos corações recebem feridas que levam décadas para cicatrizarem-se. Achamos que nossas mães vão estar ali pra sempre, para nos fazer a comida que mais nos agrada, e descobrimos que não é bem verdade. Pensamos que o tempo é infinito, mas nos esquecemos que o infinito não deve ser contado, portanto esquecemos que o tempo passa para nós, e que o mundo não gira assim tão devagar. E por esse desleixo causado pela monotonia dos fatos, tornamo-nos preguiçosos, inertes à nossa resumida existência, tentando sempre fazer com que melhoremos ao máximo nosso estilo de vida, e paramos de preocuparmo-nos com os problemas que nós mesmos causamos ao resto da matéria à nossa volta. Consumimos sem freios, jogamos lixo nos mares, destruímos a camada de ozônio, e todos esses problemas ecológicos que estamos cansados de ver na televisão, revistas e jornais, pois sabemos que vamos morrer em breve, e que a previsão para que os problemas comessem não serão nosso problema, e talvez, nem dos nossos filhos. Mas nos enganamos quando pensamos que tudo dura pra sempre, e que o planeta terra está em uma má fase, mas que vai se recuperar sozinho. Na ótica de que a terra é um ser vivo, todos nascem para morrer, mas algumas mortes são causadas por negligência, e se formos pensar direito, estamos negligenciando o fato que a terra já começou a morrer a muito tempo, pois estamos matando-a aos poucos e parecemos não nos importar; não me surpreendo do fato de que só existe uma ser racional no planeta, pois eu acho que observando a fracassada experiência, o criador não se arriscaria a prover um segundo e instaurar o caos total, pois destruímos racionalmente aquilo que irracionalmente foi criado, então me pergunto se a mente racional realmente é tão boa, e se estamos realmente preparados para guiar nossos corpos com a mente, e não com o instinto. As vezes, tenho certeza de que não sou um ser humano, pois seres humanos não podem ter a visão de que eu tenho do nosso planeta, e continuar agindo do jeito que já fazem. Como um planeta pode ter tantas pessoas tristes, e tanta beleza ao mesmo tempo? Como as águas azuis-piscina do caribe não fazem com que nos sintamos um pouco mais solidários, e queiramos que o mundo todo compartilhe de nossa visão? Como os homens acham uma grande metrópole bonita e destroem as florestas antigas com uma incrível biodiversidade para criar gado ou algo similar? Seria eu, um extraterrestre que voltando de uma longa viagem, viu algo a mais do que aqueles cujos olhos já estão acostumados? Ás vezes me pergunto… juro que não escrevo com a intenção de dar uma moonlição de moral em governantes ou algo do tipo, mas é que eu acho que algumas pessoas compartilham o meu pesar, e também gostam da chuva, assim como eu. Devem ser ETs também. Um discurso que realmente me desagrada, é quando os líderes de vocês, de suas pátrias, falam sobre progresso e desenvolvimento, mas principalmente progresso.

Olhando no Dicionário, a palavra “progresso” nos remete aos seguintes significados:

progresso sm (lat progressu) • 1 Marcha ou movimento para diante.

• 2 Curso, seguimento de uma ação de eventos, do tempo etc.: Os divertimentos não prejudicavam o progresso dos seus estudos.

• 3 Adiantamento cultural gradativo da humanidade.

• 4 Melhoramento gradual das condições econômicas e culturais da humanidade, de uma nação ou comunidade: Incentivam o progresso dos países subdesenvolvidos.

• 5 Filos Marcha numa direção definida.

• 6 Filos Transformação gradual que vai do bom para o melhor.

• 7 Crescimento, aumento, desenvolvimento: O progresso da indústria.

• 8 Adiantamento, aperfeiçoamento ou melhoramento contínuos.

• 9 Vantagem obtida; bom êxito

Quando falamos em progresso, somo mesmo masoquistas, pois, se destruir as florestas para construir fábricas e exterminar espécies inteiras, quando poderíamos ajudar a as preservar é uma “transformação gradual que vai do bom para o melhor”, realmente estamos progredindo. Mas se formos considerar que progresso é uma “marcha numa direção definida”, como citado acima,. eu digo que é tudo uma grande mentira, e é nesse aspecto que fico muito triste, pois o ser humano nem sabe pra onde vai, e se você não tem uma direção certa pra ir, como você pode saber quando você estã chegando? E se você não sabe quando você está chegando, como pode saber se está progredindo ou não? O fato é que apesar de todas as religiões e crenças, a humanidade como um todo realmente não sabe aonde vai para depois da morte, e muito menos de onde veio e principalmente porquê veio. Se realmente soubéssemos, não temeríamos tanto a morte. Então, este papo de progresso pra mim é pura hipocrisia, e na minha leiga opinião, estamos é regredindo mesmo, literalmente andando pra trás. Fazendo uma pequena retrospectiva histórica, Quando todos achavam as florestas medievais bonitas, essas foram derrubadas para dar lugar as pequenas vilas, que com o aumento da população, foram se solidificando e dando lugar aos feudos, que viam essas vilas simples lugares muito bonitos (provavelmente). Com o surgimento dos estados e a revolução industrial, as cidades se transformaram de forma que aqueles feudos e reinos com seus castelos e monastérios fossem substituídos por grandes metrópoles como Londres, que por sua vez ganhou high tech, asfaltos, ônibus de dois andares e muitas outras tecnologias, que fizeram com que quando nos voltamos a contemplar o passado, vemos uma Londres romântica, aonde os homens andavam elegantes com suas boinas, ternos, cartolas e bengalas; aonde Jack estripava prostitutas com precisão cirúrgica. Quem nunca sonhou em reviver o passado? “Quem nunca usou a frase: eu era feliz e não sabia”? E ainda falam que estamos progredindo, que estamos em um “adiantamento, aperfeiçoamento ou melhoramento contínuo” e sobretudo, em um “adiantamento cultural gradativo da humanidade”. Ao meu ver isso se chama regresso e quanto mais eles regridem, mais eles tem a sensação de que andam pra frente. Os governantes hoje já sabem que chegamos a um ponto que temos que repensar a nossa existência na terra, e pararmos de poluir os nossos rios e mares, nossos céus e nossas florestas, mas falar que temos que parar é muito fácil. O difícil mesmo é arrumar alternativas que nos façam parar de destruir o que não criamos, e ao mesmo tempo perpetuar a espécie sem danos. Enquanto vamos pensando nessa solução, vamos poluindo, continuamos matando, queimando e destruindo. Na minha opinião, tem gente demais no planeta, e se quisermos sobreviver coexistindo com as outras espécies, temos que fazer sacrifícios. Não estou, de forma alguma, falando em extermínio de pessoas, pois a idéia de matar até o mais sádico ser humano me desagrada; mas acho que deveríamos parar de reproduzirmos como uma praga e deixarmos as cidades, morar no campo, vivendo do que a terra pode nos fornecer. Só assim, daríamos uma chance para o planeta respirar aliviado da pressão humana, e começar a recuperar-se, adiando um pouco mais o nosso tempo, se é que merecemos tal ato. O planeta morrerá em alguns milhões de anos, quando o sol estiver quente demais, e aí sim, a humanidade vai viver sem lar. (provavelmente vamos até achar a terra poluída do jeito que era um lugar maravilhoso quando olharmos para o vazio escuro do espaço). Se me perguntarem por que eu não luto contra tudo isso, eu diria que é porque não adianta, não porque eu não tenho esperança de mudança, ou porque eu sou pessimista,. Mas é que o que o mundo me levou a acreditar, é que vivemos em um sistema capitalista inevitável. Cruel, mas fixo, sólido, inalterável. Como eu disse antes, só acontecimentos drásticos mudam a visão do homem, e enquanto não houver uma catástrofe mundial, o capitalismo desenfreado vai continuar existindo, e não importa o que façamos, ele não mudará, pois, lutar contra o capitalismo, é como lutar contra a gravidade; você pode até não aceita-la, mas isso não muda o fato de que ela está ali, e não importa o que você faça ela “vai” te puxar pra baixo, a não ser que você saia da terra e esse sistema vai comprando e jogando fora, comprando e jogando fora, fazendo com que o lixo vá poluindo nosso ar, matando nossas raríssimas florestas, e tudo que levou milhões de anos pra se construir. Toda essa sujeira que o homem capitalista faz me deixa muito triste, mas algo sobre a chuva me deixa mais tranqüilo, vai ver é porque quando chove, eu tenho a sensação de que a terra está chorando, e misericordiosa, ainda nos fornece água, que alimenta nossa lavoura e enche os nossos rios. Quando chove, parece uma tentativa desesperada do céu de lavar nossa sujeira, de lavar nossas almas, pois, em outro planeta cai água em estado líquido do céu? E as pessoas ainda amaldiçoam quando chove, xingam os céus quando a chuva destrói tudo o que elas construíram, mas eu me pergunto: quem veio primeiro? Elas ou a chuva? Se vivessem na natureza, não teriam inundações, e mesmo se tivessem, não se importariam de perder, porque o que a terra tira, a terra dá. Se vivêssemos todos entre as árvores, entre os animais, em harmonia com o planeta, celulares não seriam tão importantes. Mas tudo isso que eu digo não faz nenhum sentido, afinal, sou só um ET que gosta de chuva, e que realmente, realmente se importa com vocês.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s